Paulo Veríssimo, Diretor da AESintra, assume-se comprometido com mega campanha de sensibilização ambiental que vai ser lançada em janeiro do 2019 pela Associação e, em entrevista ao JEL, fala-nos da necessidade agir.

Que informações pode revelar sobre a campanha SintrAzul – Assume o teu compromisso!?

SintrAzul – Assume o teu compromisso é uma campanha de sensibilização, estrategicamente planeada pela Associação Empresarial de Sintra (AESintra) e que tem por objetivo alertar o concelho, sobretudo a comunidade empresarial, nos quais se destacam os responsáveis pelos estabelecimentos comerciais, para a necessidade urgente de reduzir a utilização do plástico nas suas atividades. Apesar do alvo específico desta campanha, a AESintra assume também o seu compromisso em sensibilizar os cidadãos em geral, nomeadamente os mais jovens, pela capacidade persuasiva que sempre evidenciam, em relação às gerações mais velhas.

Por que surge esta campanha?

É necessários que todos assumam “O Compromisso!” – Os governos devem de fomentar políticas para a redução de plásticos;  os municípios devem de alargar a recolha porta a porta;  a indústria tem de redesenhar produtos e minimizar o uso de embalagens; os consumidores precisam de alterar o hábito de “deitar fora”. Ou seja, todos nós devemos de assumir o compromisso de diminuir a utilização do plástico no nosso dia-a-dia. O Planeta não é infinito.

Por quê ser a Associação Empresarial de Sintra a lançar esta campanha?

A Associação relaciona-se com mais de 4000 empresas, que têm milhares de colaboradores. Acrescento, as muitas instituições com quem temos parcerias. Falo de inúmeras escolas, IPSSs, entre outras. Abrangemos diariamente um número muito elevado de pessoas e de acordo com a nossa política de qualidade, devemos mobilizar as pessoas com quem nos relacionamos para as questões ambientais.

Começaram por divulgar alguns números que são reveladores da situação. É uma estratégia?

O consumo anual de plástico, no mundo, ultrapassou os 320 milhões de toneladas. Há 150 milhões de toneladas de plástico nos oceanos. Segundo as Nações Unidas, se as atuais taxas de poluição se mantiverem, em 2050 a quantidade de plástico que à deriva viaja nos oceanos, vai superar o número de peixes que naturalmente lá se encontram.  Por ano, são 13 milhões de toneladas de plástico que chegam aos oceanos. Garrafas, embalagens, palhinhas, correias de plástico e materiais de pesca constituem a maior parte do lixo encontrado. Estima-se que 80% de todo o lixo nos oceanos é composto por plásticos. Não são números chocantes?

Por que escolheram a causa – plásticos?

O plástico está presente em praticamente todos os objetos que usamos. O uso dos plásticos distribui-se em: 40% embalagens; 22% bens de uso doméstico e de consumo; 20% edifícios e construção; 9% automóveis e camiões; 6% equipamento elétrico e eletrónico e 3% na agricultura. Sabia que uma garrafa de plástico pode durar cerca de 450 anos a desintegrar-se! E que um saco de plástico para embalagem, usado em média durante apenas 12 minutos, pode levar entre 100 e 300 anos a decompôr-se. Números são factos. Temos de agir. Temos de assumir o nosso compromisso.

Como são estes números em Portugal?

Segundo a Agência Portuguesa do Ambiente, por ano, a Europa produz cerca de 58 milhões de toneladas de plástico das 320 milhões de toneladas mundiais (só 30% seguem para reciclagem). Portugal contribuiu com quase 370 toneladas, uma média de 31kg por pessoa, valor acima da média europeia.

Mais especificamente, em Portugal consumimos, por ano, 250 milhões de copos de café, 40 milhões de embalagens take-away, 1000 milhões de palhinhas, 721 milhões de garrafas de plástico. Estes números dão que pensar! São assustadores.

Como vai ser a campanha?

Só o início do ano revelaremos mais pormenores.

Uma coisa é certa, temos urgentemente que mudar os nossos próprios hábitos de consumo, estamos a transformar o fundo do mar num caixote do lixo.