A AESintra lançou recentemente uma campanha ambiental designada “Sintrazul – pela nossa terra”, cujo principal foco é o combate à utilização do plástico. Este primeiro passo, de consciencialização de todos nós, deve ser desenvolvido tendo em vista a necessidade de aumentarmos as taxas de reciclagem de produtos.

Actualmente, compramos, usamos e descartamos continuamente, sem pensar no processo produtivo. Neste sentido, alterar hábitos de consumo faz com que se tenha uma maior responsabilidade sobre os produtos que adquirimos e principalmente sobre o destino que lhes damos. Alterar o paradigma da morte do produto para a reciclagem do mesmo facilita o trabalho industrial de todos os que reaproveitam os produtos, pois a matéria-prima reciclável ainda precisa de ser separada por tipo, por cor e por todos os critérios válidos para se manter a mais próxima possível da original. Após a triagem, os recicláveis ainda precisam ser prensados e enfardados para ocupar menos espaço e para que possam ser transportados, e posteriormente transformados em novos produtos.AESintra lançou recentemente uma campanha ambiental designada “Sintrazul – pela nossa terra”, cujo principal foco é o combate à utilização do plástico. Este primeiro passo, de consciencialização de todos nós, deve ser desenvolvido tendo em vista a necessidade de aumentarmos as taxas de reciclagem de produtos.

A reciclagem leva a uma valorização dos produtos e a uma redução substancial da necessidade de utilização de matéria primas originais, contribuindo assim para um maior equilíbrio ambiental e uma redução significativa das importações de commodities. Senão, vejamos três exemplos: as garrafas de plástico são moídas, voltando a ser grãos como a matéria-prima original do plástico; os papéis são triturados e misturados com água até se parecerem com pasta de celulose; os metais e vidros são derretidos, ficando prontos para fundição.

A revalorização pode ser feita de muitas formas, de acordo com o material e a finalidade que se quer dar a ele. Com os materiais prontos, é possível fabricar um novo produto, fechando o ciclo da reciclagem. Se fizermos a separação eficaz em casa ou no nosso trabalho, temos os seguintes benefícios directos:

– Uma quantidade menor de resíduos irá para aterros.

– Resíduos reciclados corretamente não contaminam o solo e as águas;

– Resíduos reciclados corretamente ajudam na limpeza e higiene das cidades;

– Reciclagem gera riqueza.

Em suma, não custa reciclar. Vamos ao trabalho!

 

Nota: Este artigo integra a edição 22 do Jornal Economia Local

#jornaleconomialocal

#associacaoempresarialdesintra

#sintrazul